Blog da Editora Advaita com textos de dialogos com Sri Nisargadatta Maharaj e outros Mestres como Sri Ramana Maharshi, Jean Klein, Ramesh Balsekar, Tony Parsons, Karl Renz e outros. Não-dualidade. Para encomendar o livro "Eu Sou Aquilo" Tat Twam Asi - Conversações com Sri Nisargadatta Maharaj" escrever para editora.advaita@gmail.com

domingo, 13 de março de 2011

A Natureza do Sono Profundo






Entre os muitos visitantes que vêm para encontrar Maharaj há alguns que, talvez devido a uma linha comum de estudo ou orientação, encontram-se presos a um ponto particular de compreensão. Buscam, invariavelmente, esclarecê-lo. Para um certo grupo de pessoas, o problema está centrado em torno da natureza do estado de sono profundo.
          Eles haviam entendido – ou mais provavelmente, haviam entendido errado o que lhes havia sido dito – que o estado de sono profundo era, de fato, o estado ‘supremo’, ou nosso estado original, e estavam bastante agitados quando ouviram de Maharaj que nada poderia estar mais longa da verdade. Como poderia o estado de sono profundo, Maharaj lhes perguntou, o qual se alterna com o estado de vigília na consciência, ser nosso verdadeiro estado? A própria consciência está limitada pelo tempo, e depende do corpo feito de alimento para sua manifestação e sustento. O estado de sono profundo é, portanto, uma condição física com uma duração, e se alterna com o estado de vigília. A razão pela qual ele é confundido com a Consciência não-objetiva – onde a Consciência não está consciente de si mesma – é que, durante o sono profundo, a consciência, temporariamente, retira-se para descansar. A diferença importante a notar é que o estado de sono profundo é similar à Consciência apenas na medida em que, então, a consciência não está consciente de si mesma. Contudo, este estado estará, imediatamente, ‘em movimento’, na medida em que tenha uma duração, depois da qual o estado de vigília aparece novamente.
          Tudo o que se pode dizer é, acrescentou Maharaj, que o sentido de presença, que está presente durante o estado de vigília, estará ausente no sono profundo. O estado da Consciência – o que verdadeiramente somos – por outro lado, é tanto a total ausência de presença quanto da ausência do sentimento de presença. Esta é distinção crucial.
          É uma medida da força do condicionamento conceitual o fato de que as pessoas que supõem terem alcançado um alto nível espiritual (seja o que for que isto signifique!) não possam facilmente aperceber-se desta distinção básica entre sono profundo e Consciência feita por Maharaj. Era penoso ver Maharaj demolindo seus conceitos um após o outro, conceitos que haviam sustentado por tanto tempo e com todo o coração, os quais estavam, obviamente, pouco dispostos a abandonar. Mas isto era claramente necessário. Com seu incontido senso de humor, Maharaj comparou o estado da mente dos questionadores com aquele de um milionário que é informado que todos os seus milhões, repentinamente, perderam totalmente seu valor.
          Maharaj lançou mais luz sobre o assunto ao explicar que tanto o estado de vigília quanto o estado de sono profundo são períodos alternados na consciência-em-manifestação. Se isto fosse claramente entendido, disse ele, não haveria nenhuma confusão. Cem anos atrás – Maharaj perguntou ao chefe do grupo –, você estava interessado no sono profundo? Necessitava dormir? Agora, quando a consciência se manifestou em um aparato físico, você poderia continuar sem o sono profundo por qualquer extensão de tempo? Sono profundo, consciência, estado de vigília e duração no tempo constituem o mesmo conceito associado com a manifestação. Como poderia ser equiparado à Consciência Não-manifestada, a qual é atemporalidade, pura subjetividade sem o mais leve toque de objetividade?


De "Sinais do Absoluto" 



Nenhum comentário:

Followers

Receber os artigos via-mail

Contador

Pesquisar este blog

visitantes