Blog da Editora Advaita com textos de dialogos com Sri Nisargadatta Maharaj e outros Mestres como Sri Ramana Maharshi, Jean Klein, Ramesh Balsekar, Tony Parsons, Karl Renz e outros. Não-dualidade. Para encomendar o livro "Eu Sou Aquilo" Tat Twam Asi - Conversações com Sri Nisargadatta Maharaj" escrever para editora.advaita@gmail.com

sábado, 23 de agosto de 2008





Comentario



Esse sentido de ser (o "eu sou") permea o universo inteiro e, de sua força gravitacional, nascem todas as coisas. Trata-se d'Aquele "Amor que move o Sol e as outras estrelas", do Deus onipresente das escrituras, do "Alpha e o Omega".

Nos seres senciêntes, ele gera a sensação de ser e, consequentemente a idéia de indivudualidade - portanto, de separação - necessaria para que essa divina comêdia, essa Leela baseada na dualidade, possa se manifestar.

A libertação (auto-realização ou iluminação) representa a clara realização de que, em verdade, não somos esse corpo-mente que acreditavamos ser, mas somos esse mesmo Ser impessoal, Aquilo que é a origem de todo o mundo manifesto.

Descobrimos Aquilo quando , verificados todos os atos falhos da mente para contê-lo, finalmente aceitamos essa impossibilidade e, no silencio dessa entrega, nesse abandono descobrimos uma especie de "outro sentido"... alèm de qualquer sentido. Uma apercepção da unidade evidente que somos enquanto Consciencia inclusiva. Um olhar claro e puro que denota esse esplendido paradoxo (nem isso nem aquilo.....issso e aquilo), essa atenção pacifica.... essa infinita e desconfinada planice sem tempo, o Ser impessoal que é o Amor e nosso verdadeiro lar.

Esse é o alcance que a descoberta de não ser uma entidade individualizada nos regala.
Essa é "boa nova".

Nenhum comentário:

Followers

Receber os artigos via-mail

Contador

Pesquisar este blog

visitantes